Fechar busca

Como definir a frequência de calibração/manutenção de uma balança

Publicado em


  • Indique esse artigo
Como definir a frequência de calibração/manutenção de uma balança

Todo equipamento de pesagem, independentemente da tecnologia aplicada em sua confecção, sofre desgaste com o uso e  requer  calibrações  periódicas  para  que  se  tenha  certeza  de  sua  exatidão, mas como definir os intervalos para essa verificação?

O primeiro item a se levar em consideração é o local de instalação. Se o lugar onde a balança vai ficar tem grande movimentação, é um local aberto ou está exposto a variações climáticas, o equipamento pode ter um desgaste mais rápido do que aquele que fica em um ambiente com temperatura controlada, fechado e com menos movimentação. Por exemplo, quando a balança é utilizada no carregamento, onde passam caminhões diariamente, exposta à poeira e trepidações, a manutenção preventiva deve ter um intervalo menor, para garantir que esses fatores não interfiram no bom funcionamento.

Depois, é preciso analisar qual a frequência de uso. Balanças que são utilizadas com mais frequência precisam de uma verificação assídua. Isso porque essa utilização exige mais de seu sistema e provoca um desgaste natural. 

Outro item que precisa de atenção é a forma de operação do equipamento. É importante lembrar que, independentemente da capacidade, balanças são instrumentos de precisão e devem ser operados de maneira cuidadosa. Deve-se evitar impactos na hora da colocação da carga, deslizá-la pela plataforma ou prato e tentar sempre posicioná-la suavemente e de forma centralizada.

Assim como aqueles equipamentos que são usados para pesagens mais delicadas, peças leves ou produtos frágeis também são mais poupados do que aqueles que sofrem impacto com a colocação da carga a ser pesada. Estes últimos certamente precisarão de um intervalo menor na manutenção para garantir o correto funcionamento por mais tempo.

E por último, o quanto aquele equipamento é essencial para o processo. Balanças que são usadas em transações comerciais, como em balcões de padaria, precisam de manutenção para não gerar prejuízos. Em linhas de produção, onde um erro para mais ou para menos pode comprometer o produto tem uma criticidade maior no processo, como na indústria farmacêutica ou quando se trata de produtos de alto valor, como ouro, portanto exigem mais atenção quanto a sua manutenção. Esses equipamentos que são essenciais ao processo, por garantia, têm sua manutenção periódica determinada em intervalos menores, já que o mau funcionamento poderia acarretar um prejuízo muito maior ao proprietário.

É possível perceber que uma balança com a manutenção preventiva bem programada, além de ter seu tempo útil aumentado consideravelmente, diminui a possibilidade de parada no meio do processo e evita que o desgaste natural se agrave com o tempo.

Além disso, um equipamento sempre bem ajustado também evita que, em uma possível fiscalização o estabelecimento seja autuado. Os órgãos fiscalizadores fazem a medição e determinam um prazo para que aquela balança seja revisada e passe novamente por uma verificação, para só depois liberar a utilização do equipamento.

Sem programa: Parada inesperada; Perdas no processo; Erros gradativamente maiores; Autuações; Redução da vida útil do equipamento.

Com programa: Segurança e tranquilidade no processo; Foco no negócio principal; Precisão; Maior vida útil; Menor custo de propriedade.

 

 


Comentários


  • Indique esse artigo