Fechar busca

Entenda a diferença entre Dosagem Volumétrica e Gravimétrica

Publicado em


  • Indique esse artigo
Entenda a diferença entre Dosagem Volumétrica e Gravimétrica

Escolha o método ideal para cada tipo de produto a ser manipulado e processo a ser aplicado.

Em síntese, o tema dosagem e pesagem suscita muitas dúvidas, tanto que as diferenças referentes a ambos processos já foram apresentadas anteriormente. Assim, dando continuidade ao assunto, vamos abordar desta vez as diferenças entre a dosagem volumétrica e a dosagem gravimétrica.
As máquinas de enchimento em geral (para líquidos ou sólidos) usam métodos volumétricos ou gravimétricos para controlar a quantidade de enchimento de um determinado produto (material). A diferença básica para determinar qual método é mais adequado para cada processo é conhecer as características químicas e físicas do produto a ser envasado.

Dosagem Volumétrica: Os Sistemas de Enchimento e Dosagem do tipo volumétricos, por exemplo, são comumente utilizados em produtos cuja variação de suas propriedades físico-químicas, como densidade, viscosidade e granulometria seja inexistente ou mínima durante a operação, além do fato de gerar ou não bolhas, espumas ou quaisquer outros pontos que possam impactar diretamente na repetibilidade da relação volume X massa.
O processo de enchimento e dosagem volumétrica é uma operação dinâmica, com relação inversamente proporcional entre velocidade e precisão de envase. Isso significa basicamente que se considerarmos dois cenários em um mesmo equipamento, sendo o primeiro com alta velocidade de enchimento, a velocidade será alta, no entanto, a precisão de envase resultante será baixa; já num segundo cenário, se tivermos uma velocidade de enchimento baixa (inferior a velocidade de envase do primeiro cenário), a precisão de dosagem resultante será alta, porém a velocidade do envase será baixa.
A fim de obter a melhor precisão e também velocidade na operação, comumente faz-se uma mescla da alta e baixa velocidade na operação.
Geralmente, duas maneiras práticas para verificação da eficiência do processo de dosagem volumétrica são aplicadas, a fim de garantir o correto fornecimento de massa conforme indicado em embalagem, sendo elas:

1. Verificação Integral do Processo: Neste caso, poderá haver uma balança para pesagem do recipiente após o processo de enchimento, ou então, através da utilização de balança dinâmica na linha de operação, comumente conhecida como “Checkweigher”. Esta balança fará a pesagem de cada recipiente, podendo efetuar o rejeito dos itens que estejam fora da tolerância configurada. Da mesma forma, pode ser conectada à máquina de envase, de modo a fornecer informações de peso para que esta faça as correções na dosagem para atender a precisão e exatidão desejada. Adicionalmente, este mesmo equipamento (checkweigher) pode alimentar uma base de dados a fim de gerar dados estatísticos do processo como peso mínimo, máximo, variância, desvio padrão, entre outros.

2. Verificação Pontual por Lote: Neste caso, apenas alguns recipientes são separados para pesagem num lote de produção. Como exemplo, em um lote de 1.000 recipientes, são coletados 10% destes (100 recipientes) e pesados individualmente, seja manual ou automaticamente, para a avaliação do processo de envase. Neste método, deverão ser admissíveis no processo possíveis desvios nos valores envasados, uma vez que não são verificados todos os recipientes.


Método Gravimétrico: Os Sistemas de Enchimento e Dosagem do tipo gravimétrico utilizam a balança para “pesar” o material durante o processo de enchimento, e em determinadas aplicações, a própria balança controla o enchimento através do acionamento de saídas digitais de acordo com o peso. Este tipo de operação isola qualquer tipo de desvio proveniente de mudança ou alteração nas características do produto, uma vez que o processo de medição de massa não sofrerá alteração caso as características do produto se alterem durante a dosagem. Este tipo de operação é adequado para operação em todos os tipos de produtos, incluindo líquidos, sólidos e gases.
É possível afirmar que sistemas de dosagem gravimétricos são os mais precisos disponíveis no mercado atualmente quando falamos de sistema de enchimento, uma vez neste processo medimos a massa utilizada na dosagem.
Existem processos para dosagem gravimétrica de diversas capacidades, desde gramas até toneladas, tornando baixa a incerteza do processo e garantindo precisão na dosagem.
Alguns painéis controladores dedicados a indicação de peso e dosagem gravimétrica, contam com recursos de autocorreção na dosagem, garantindo sempre o melhor resultado nos cortes de setpoint, se ajustando a possíveis diferenças de densidade e consequente velocidade de fluxo de envase. Este tipo de recurso por muitas vezes atua como segurança no processo de dosagem, uma vez que evita possíveis transbordamentos de recipiente.

Importante destacar que a informação obtida através do método gravimétrico atesta 100% do controle do processo estatístico e de rastreabilidade. Além do mais, a empresa que utiliza esse método tem a possibilidade de optar pelo uso de embalagens individuais para apresentar seu produto, de acordo com a legislação que determina peso líquido.
Outra vantagem significativa conferida pela dosagem gravimétrica é que equipamento de pesagem pode ser verificado, calibrado e ajustado na própria empresa, com emissão de certificados de conformidade válidos para auditorias e de acordo com portarias do Inmetro.
O resultado disso se traduz em economia de custos no processo, uma vez que se evita desperdícios ou perda de produto, controle de estoque propiciando melhor planejamento na compra e venda de matérias primas e insumos, além de garantir maior velocidade no processo.
Adicionalmente, é possível garantir a qualidade do produto uma vez que haverá controle de 100% do processo.


Comentários


  • Indique esse artigo