Fechar busca

Toledo do Brasil apoia a campanha do IPEM-SP contra balanças piratas

Publicado em


  • Indique esse artigo
Toledo do Brasil apoia a campanha do IPEM-SP contra balanças piratas

Confira o vídeo "Balança pirata é crime!" #PiratariaNão, que traz importantes orientações aos consumidores e aos comerciantes.

Engajada no combate à entrada e à comercialização de produtos ilegais no País, a Toledo do Brasil apoia a campanha "Balança pirata é crime!", promovida pelo Instituto de Pesos e Medidas do Estado (IPEM-SP), que é vinculado à Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania e órgão delegado do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro).

O lançamento do vídeo da campanha foi durante o Congresso de Qualidade em Metrologia (Enqualab) e do 1º Seminário de Metrologia Legal, eventos que aconteceram nos últimos dias 6 e 7 de novembro, na sede do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Estado de São Paulo (CREA-SP).

O intuito da campanha é conscientizar sobre a venda e o uso de balanças piratas, que são crimes e trazem riscos e prejuízos aos consumidores, comerciantes e fabricantes legalizados. Estima-se que 50% das balanças computadoras, ou seja, aquelas com finalidades comerciais (que pesam e precificam) sejam irregulares, representando algo em torno de 100.000 unidades ilegais no País ao ano.

A principal lei sobre pesagem é a Portaria 236/94 do Inmetro, que estabelece que toda balança utilizada para atividade econômica precisa necessariamente ser submetida ao processo de aprovação de modelo e somente as aprovadas estão aptas para venda e uso no País.

O não cumprimento da lei pode gerar pesagem incorreta, apreensão do equipamento, multa e até interdição do estabelecimento comercial. Por isso, é preciso certificar se a balança está cumprindo as exigências legais, tais como: selo do Inmetro, onde e como foi fabricada e a qualidade da pesagem. É preciso fazer a coisa certa! Não comercialize, compre ou utilize balança pirata. É crime! Confira o vídeo da campanha "Balança pirata é crime!" #PiratariaNão, com orientações importantes aos consumidores e aos comerciantes.

 


Comentários


  • Indique esse artigo